8.4.07

(Re-resposta, vamos lá.
Não esperava resposta, nenhuma.
Era mais um grito no escuro que quase ficou restrito a um e-mail que vai ser lido sabe lá quando. Não escrevi aquilo pra por aqui. Escrevi pra Débora. Por algum motivo me é mais fácil desabafar com pessoas do outro lado do oceano.

Dai houve resposta, tão inesperada e tão, mas tão, não sei explicar. Obrigada.
Quando eu coloquei um ponto naquele texto foi como desengasgar, eu respirei. Foi mais ou menos que nem cuspir uma bola de pêlos, o pior já foi, mas ainda ficam uns pêlos na garganta, fazendo tossir, incomodando. Dai eu li o que vocês escreveram, e eu chorei de novo. Desaprendendo a ser forte, é isso aí. Só 19 anos, sei, mas parece mais, talvez o Matusalém não seja o Isma. Não me arrependo desses dois anos pq conheci vocês. Acho que pra isso eu faria até um semestre de engenharia, mas só um, pq convenhamos, é engenharia. Agora quinta, quando eu ia pra Caxias de ônibus, com o livro do Kotsho na mão, um senhor me pediu se eu fazia jornalismo. Eu disse que sim, e ele perguntou Mas é isso que tu quer? e eu respondi Sim, eu quero ser correspondente internacional, mas não foi uma resposta, foi um eco. Foi a primeira vez que eu disse isso sem acreditar, nem um pouquinho. Aí que está, não sei se posso seguir mas dois anos desacreditando.
Mas não se preocupem, essa re-resposta não precisa de outra re-resposta. Como eu não vou aguentar mais uns meses sem dormir, decidi deixar isso pra julho, até lá eu vou levando, bem, na medida do possível.)

2 comentários:

Cris disse...

=D

certo q o velhinho era um anjo fantasiado de velhinho só pra te dizer alguma coisa q te fizesse pensar numa hora difícil.

bom, talvez eu esteja vendo muita tv. mas vai dizer, isso não é muito filme?

Natusch disse...

Muito. Muito filme. Mesmo. =P