15.6.07

"Não gosto de pensar, como já dizia a música, que pra sempre, sempre acaba, e me dói olhar nos olhos dos meus amigos de hoje sem saber se eles continuaram assim amanhã. Cada um segue um caminho, não há como impedir isso, o fato é que não é sempre que esses caminhos se cruzam. Acho que eu queria uma ilha pra poder voltar, em que o tempo parasse do jeito que eu tivesse deixado, as pessoas fossem as mesmas e eu também. No fim é isso, tenho saudade de mim e um pouco de medo de que eu mude tanto que não venha mais a reconhecer os meus amigos, ou pior, que eu não me reconheça mais".
Eu, meados de 2005

2 comentários:

Natália Pianegonda disse...

acho que isso é fase...
"meados de 2005"
nessa época eu sentia a mesma coisa. E ainda sinto, mas tenho que estar bem inspirada, porque ando sem tempo de pensar no passado ou mesmo bem no presente. Então não bate mais tanto. Mas, nossa... 2004 e 2005 foram bem assim, do tipo "faça uma lista de grandes amigos"...

exatamente.

Kauê disse...

tu nao postou isso sob o efeito do daime, neh?
=P