15.4.08

domingo à noite
– Tenho dois livros aqui, se tu quiser eu te empresto. Mas tu tem que ler até quarta.
(perguntas como que livros, de quem, por que até quarta-feira ficaram para trás. Adoro livros, meio que desde de sempre. Foi em grande parte por causa deles que acabei aqui. Tem uma frase da Marta Medeiros na biblioteca da Fabico (é, alguém enquandrou alguma coisa que ela disse e colocou em uma biblioteca) que diz que ela poderia ter vivido tudo igual mas seria completamente diferente se não tivesse lido os livros que leu. Concordo. Eu também. Meus dias são sempre cercados por um ponto de angústia por saber que o mundo está cheio de livros, bons livros, que ainda não li e talvez nunca chegue a ler. Nos domingos ensolarados e nas noites após o trabalho me rói por dentro uma dúvida cruel. Me fechar e mergulhar nas histórias, ou sair à rua, a mesa com os amigos, e viver elas (na verdade, nunca li tão pouco como desde que me mudei). Bons amigos - e boa comida- são um atrativo forte. Se eu pudesse e tivesse talento viveria assim, de contar histórias)
– Quero.