31.8.08

E Porto Alegre vai de

Me animei com essa história de eleições. Após bancar a petista empedernida e colocar abaixo a administração Fogaça – o que não é muito difícil–, é hora de falar da tal penca de candidatos que concorre a prefeitura de Porto Alegre.
Olé, que o pleito promete e até outubro ainda tem tempo.

José Fogaça (PMDB), vice - José Fortunati (PDT)
Cidade Melhor - Futuro Melhor (PMDB - PDT - PSDC - PTB)
Em primeiro lugar nas pesquisas e com a vaguinha para o segundo turno quase garantida, o atual prefeito Fogaça. Sem graça, sem grandes realizações e também sem grandes cagadas. Concorre graças a lei da inércia. Seria bacana se houvesse um reviravolta e ele ficasse de fora, mas acho difícil. É o candidato mais forte da direita (para vocês como a coisa tá feia).

Maria do Rosário (PT), vice - Marcelo Danéris (PT)
Frente Popular (PT - PRB - PTC - PSL)
Recuperar a Capital gaúcha é questão de honra para o PT. A ministra Dilma Roussef teve permissão para fazer campanha apenas em uma cidade, e foi em Porto Alegre que ela aportou neste sábado, seguida pelo ministro Fernando Haddad, que apareceu aqui hoje. A campanha bate forte na experiência do partido, e é mais a estrutura que a Rosário em sim que sustentam a candidatura.

Manuela D'Avila (PCdoB), vice - Berfran Rosado (PPS)
Porto Alegre é Mais (PPS - PR - PMN - PCdoB - PSB - PTN - PTdoB)
E aí, beleza? Até hoje me supreendo que alguém com esse slogan tenha chegado tão longe, mas dai vem o Onyx de "Demorô!" e eu percebo que eleitores devem ser surdos. Aos 27 anos a moça já foi vereadora por Porto Alegre e deputada federal pelo Rio Grande, posto que largou para concorrer a prefeitura da Capital. Ela surpreendeu todo mundo ao entrar na Câmara com 271.939 votos, simplesmente a mulher mais votada da eleição.
A coligação miscelânea e o vice do PPS fez muita gente torcer a cara, mas ir contra as origens por ir contra as origens só mesmo a Guasso que pode atirar pedras. Dizem as más línguas que se a Manu passar para o segundo turno, deu pra bola. Medo, muito medo. Vi uma entrevista com ela na Cultura semana passada. Além de articulada, ela é carismática e sabe se defender bem, o que já é meio caminho andado.

Luciana Genro (Psol), vice - Édison Pereira (PV)
Sol e Verde (PSOL - PV)
Tenho uma colega de faculdade, candidata a vereadora pelo partido, que diz a Luciana deve fazer uns 10% em Porto Alegre, e que isso não é pouca coisa. Acho que não é por aí. A Luciana tem um histórico forte. Foi corrida do PT por discordar, brigou com o pai, fundou o Psol e brigou com mais meio mundo, no entanto a gente olha a campanha dela e pensa "cadê a Luciana Genro?". Ela não parece ter entrado nessa apenas para garantir mais um tempo como deputada, mas para ganhar. Mudou o cabelo, o tom de voz, levou pito da executica nacional por aceitar 100 mil da Gerdau para a campanha e respondeu que burrice seria não aceitar. Ela tem um dos discurso mais coerentes e teria chance de passar para o segundo turno não fosse a Manuela. Votar nela agora é tirar um voto da Rosário, que querendo ou não, é a candidata com mais força para passar para o segundo turno com o Fogaça.

Vera Guasso (PSTU), vice - Humberto Carvalho (PCB)
Frente de Esquerda (PCB - PSTU)
Não vou mentir, não sei lhufas da Vera Guasso. Só que é dirigente sindical e que nunca conseguiu se eleger para nada. Também não é preciso ser nenhum gênio para dizer que dessa vez não vai ser diferente. Teve um rolo com o Psol essa semana que cassou uma propaganda eleitoral que xingava o partido por aceitar dinheiro da Gerdau. Ironicamente, no começo do ano o Psol teve que parar de distribuir uns panfletos por motivos parecidos. Ah, e sempre esquecem da Guasso quando fazem matérias dizendo que esse ano a disputa é entre mulheres.

Onyx Lorenzoni (DEM), vice - Mano Changes (PP)
Porto Futuro Alegre (DEM - PP - PSC)
Reparecem bem no vice após o tracinho. Changes, Mano Changes. Atual deputado estadual e vocalista da banda gaúcha Comunidade Ninjitsu. Entrevistei ele antes da eleição. Lembro bem do que pensei após a conversa. "Esse cara é uma porta, tomara que não se eleja." Como de portas a Câmara está cheia, cá está ele. Lépido e faceiro, gritando demorô ao lado do Onyx em frente ao pôr-do-dol do Guaíba. E o que isso tem a ver com o Onyx? Ora bolas, me diga com quem andas e te direi quem és. Mas tudo bem, não vamos julgar alguém apenas por ter feito uma escolha eleitoreira.
Ele ziz ter se apaixonado pela gestão de cidades e fora o "demorô" do slogan, parece ter feito o dever de casa direito. Com o lema não a um passado que não deu certo e a um presnte que não correpondeu, ou algo do gênero, assim como a Luciana, ele é um dos candidatos mais coerentes. As propostas estão bem estruturadas e focam em problemas reais da cidade. Gosto quando ele afirma ser candidato "para um mandato só", o que por mais que não seja verdade é raro de ouvir nesses tempos pós aprovação da reeleição. Mas convenhamos, Onyx prefeito? Acho brabo.
Adendo: Segundo a Dé, ele também foi o deputado que faltou mais sessões na Câmara.

Nelson Marchezan Jr. (PSDB), vice - Tadeu Martins (PSDB)
Não vou falar desse cara porque 1. é o fim da picada o PSDB lançar um candidato com todas as maracutais referentes ao governo do Estado vindo à tona, 2. ele não merece. A coisa é tão furada que o partido teve que entrar sozinho nessa. Acho que o sonho de infância dele era concorrer a prefeito.

2 comentários:

lola aronovich disse...

Paula, mais uma vez obrigada por me dar uma boa base do que acontece em Porto Alegre. Muito interessante! Como que tem quatro mulheres concorrendo?! Incrível! Inédito, não? E isso do PSDB é uma vergonha. Não sei se já vi o PSDB se lançar sozinho, sem uma só coligação, numa campanha...

Paula disse...

Olha, estaria mentindo se te desse certeza, mas deve ser inédito sim. O PSDB gaúcho tá muito isolado. Li em algum lugar que a executiva nacional do partido estava recebendo pedidos de candidatos a vereador para fazer fotos para santinhis com o Serra e outros figurões do partido e ofereceu a Yeda. Ninguém quis...