31.1.09

"A teoria é muito mais fácil do que a prática."

Judite Inês Bersch

27.1.09

Tintin!

Um brinde ao post novo no Cowabanga. Atualizado religiosamente uma vez por semestre.

26.1.09

Há algo de podre no reino do pão de queijo

Não é de hoje que pairam pela internet, redações e afins rumores sobre a censura à imprensa realizada pelo governo do estado de Minas Gerais. A imagem impecável do governador Aécio Neves (PSDB) não é resultado apenas de um grande esforço de gestão, mas de uma observação cuidadosa de tudo o que pode ou não pode sair na mídia em conjunto com um alto investimento em propaganda. Os meios de comunicação, para variar comprometidos, preferem fazer boca de siri a ir contra o possível candidato a presidência do País em 2010 ou 2014.
Em uma dessas tardes de pesquisas internéticas me deparei com o documentário que segue, feito por Daniel Florêncio para a Current TV. O filme já foi exibido na Inglaterra e nos Estados Unidos e trata da forma como a imprensa mineira e o governo tem se relacionado nos últimos sete anos.
Ele também faz coro ao documentário "Liberdade, essa palavra", trabalho de conclusão de curso na UFMG do jornalista Marcelo Baêta. O então estudante compilou diversas entrevistas com profissionais da imprensa mineira a fim de estabelecer se havia censura em Minas e de que forma ela se perpetuava.



É especialmente triste perceber que o que acontece lá pelas bandas de Belo Horizonte parece ser prática comum na imprensa gaúcha. Há tempos.

25.1.09

Fins de domingo

Funciona assim. Sal sempre vai ter, mas se tiver manjericão ajuda. Agora orégano nunca vai faltar.

22.1.09

Então

O ponto é perseguir uma existência autêntica. Que tanto as indagações quanto as respostas sejam com o tempo cada vez mais fruto de reflexões originais, não herdadas. É nesse caminho todo de reconstrução, porque crescer é em grande parte juntar os cacos atrás de um todo que seja maior que a soma das partes, que consiste a beleza e a dificuldade da coisa.

21.1.09

E os blogs vão dominar o mundo

Não é que até o Protógenes Queiroz tem um?
"...estamos de um lado que além de não ter medo de fumaça, muito menos de água acida fervendo, exergamos um país melhor para os nossos filhos, netos e futuras gerações."

Na falta de heróis, e por mais que o pop mate, é legal poder torcer por alguém.
Vai que é tua delegado!

* By the way, vocês sabiam que ele sofreu um atentado essa semana?

Resoluções

Não vou fazer nenhuma promessa porque me conheço, e sei que com uma monografia rolando vai ser ainda mais difícil, mas esse ano eu gostaria de escrever mais por aqui. Agora ter idéias sem acento vai ser complicado.

12.1.09

Regras para redação de notícias sobre o Oriente Médio

Ah, se virem no espanhol.

"Doce reglas infalibles para la redacción de noticias sobre Oriente Próximo en los grandes medios de comunicación...Emir Sader publicó este texto anónimo, enviado en francés al blog que Emir mantiene en la publicación brasileñaCarta Maior.
1) En Oriente Próximo son siempre los árabes quienes atacan primero, y siempre es Israel quien se defiende. Esadefensa se llama "represalia".
2) Ni árabes, ni palestinos ni libaneses tienen derecho a matar civiles. A eso se le llama "terrorismo".
3) Israel tiene derecho a matar civiles. Eso se llama "legítima defensa".
4) Cuando Israel mata civiles en masa, las potencias occidentales piden que lo haga con mayor comedimiento. Esose llama "reacción de la comunidad internacional".
5) Ni palestinos ni libaneses tienen derecho a capturar soldados israelíes dentro de instalaciones militarescon centinelas y puestos de combate. A eso hay que llamarlo "secuestro de personas indefensas".
6) Israel tiene derecho a secuestrar a cualquier hora y en cualquier lugar a cuantos palestinos y libaneses sele antoje. Su cifra actual ronda los 10 mil, 300 de los cuales son niños y mil, mujeres. No es necesarianinguna prueba de culpabilidad. Israel tiene derecho a mantener secuestrados presos indefinidamente, aunquesean autoridades democráticamente elegidas por los palestinos. A eso se le llama "encarcelamiento de terroristas".
7) Cuando se menciona la palabra "Hizbulá", es obligatorio añadir en la misma frase "apoyados y financiados porSiria e Irán".
8) Cuando se menciona "Israel", está terminantemente prohibido añadir: "apoyados y financiados por los EEUU".Eso podría dar la impresión de que el conflicto es desigual y de que la existencia de Israel no corre peligro.
9) En informaciones sobre Israel, hay que evitar siempre que aparezcan las siguientes locuciones: "Territoriosocupados", "Resoluciones de la ONU", "Violaciones de los Derechos Humanos" y "Convención de Ginebra".
10) Los palestinos, lo mismo que los libaneses, son siempre "cobardes" que se esconden entre una poblacióncivil que "no los quiere". Si duermen en casa con sus familias, eso tiene un nombre: "cobardía". Israel tienederecho a aniquilar con bombas y misiles los barrios donde duermen. A eso se le llama "acción quirúrgica dealta precisión".
11) Los israelíes hablan mejor inglés, francés, castellano o portugués que los árabes. Por eso merecen serentrevistados con mayor frecuencia y tener más oportunidades que los árabes para explicar al gran público laspresentes reglas de redacción (de la 1 a la 10). A eso se le llama "neutralidad periodística".
12) Todas las personas que no están de acuerdo con las sobredichas Reglas, son, y así debe hacerse constar,"terroristas antisemitas de alta peligrosidad"."

8.1.09

Breathe, breathe in the air

Cá estava mandando um e-mail pós esporro "tu não dá mais sinal de vida" para um grande amigo que está dobrando o inverno e sofrendo em dólar lá pelas bandas da grande maça quando lembrei desse espacinho aqui, tão cheio de textos que não escrevi, por falta de tempo e vontade. Tentava explicar ao tal amigo que, no momento, apenas respirar e tudo que isso implica me parece muito mais interessante que sentar a cadeira frente à tela do PC em agonias diversas de notícias que não tive tempo de ler, monografias que se aproximam e um ano novo galopante.
Enfim, respiro.

***

Se fosse para escrever algo a sério, falaria de Gaza, mas posto que tantos estão falando mais e melhor do que eu (só no domingo, foram 4 mil posts em todo o mundo), recomendo a leitura dos blogs, que, right now, são a melhor alternativa em termos de informação a barbaridade perpetuada por aqueles lados. Dos tupiniquins, recomendo o Biscoito Fino e RS Urgentes, linkados aí do lado. Outra opção interessante é o site da rede de TV Al Jazeera, que tem quatro correspondentes na Faixa e está fazendo uma baita cobertura do conflito.
Para não me acusarem de impacialidade, tem esse blog de um brasileiro no sul de Israel, à favor da ação militar, esse de uma libanesa em Gaza, contra, e esse de um israelense e um palestino pela paz.

That´s all folks. Bom começo de anos a todos e até a vista.