30.6.09

Esqueleto de um monopólio

Quem é a RBS de acordo com os dados do processo que o Ministério Público de Santa Catarina move contra a empresa:

Faturamento em 2006: R$ 825 milhões

Lucro líquido em 2006: R$ 93 milhões

18 emissoras TV aberta (afiliadas da Globo)

2 emissoras de TV comunitária

1 emissora de agronegócio

25 emissoras de rádio

8 jornais diários

4 portais na internet

Editora RBS Publicações

Gráfica

Gravadora Orbeat Music

Empresa de Logística ViaLog

Empresa de marketing para público jovem Kzuka

Participação em empresa de móbile marketing

Fundação de Responsabilidade Social

Mais informações, na matéria da Naira pra Adverso.

29.6.09

Autoconhecimento

Após mais de duas décadas dedicas ao repúdio geral e genuíno a essas substâncias líquidas estranhas que as pessoas tendem a chamar de comida descobri, contra a minha vontade, que gosto de sopa.



Ainda estou chocada.

27.6.09

(...) é importante reconhecer que durante os quarenta anos de minha carreira como escritor-pesquisador eu investi pesadamente na perda de tempo." (p. 59).

Vida de escritor, Gay Talese

Crônica de uma visita presidencial

Por Dani de Bem e Paula Bianca Bianchi

Com a câmera na mão dona Marisa gritava: Lula, Lula! Apesar de morar em Brasília, essa foi a primeira vez que ela conseguiu ver de perto o presidente que junto com outros 50 milhões de brasileiros ajudou a eleger. E não só viu como cheirou, beijou, abraçou e bateu foto.

Mais, no Jornal Já.
And we are back. :)

O texto ficou por minha conta e a inside histhorie - definitivamente, a parte mais legal -, pela dona Dani. Após burlar meio mundo, me oferecer pra segurar um tripé pra conseguir entrar na coletiva, pedir uma mão pra um deputado que passava e pro Olívio foi a sorte que definiu a matéria. Fui a única jornalista sem crachá a ver o presidente falar. A Dania cabou barrada por não ter uma foto 3x4 junto. God save aquela fotenha horrosa de quando eu tinha uns 14 anos e um cabelo beatlemaníaco que esqueci na carteira.

26.6.09

"É verdade que o Maicon Jackson já foi branco?".
Filha de 12 anos de uma amiga da Marília.

25.6.09

Bicho carpinteiro literário

Não consigo mais sentar e ler. Quer dizer, ler leio. O tempo todo. Panfletos, contos, revistas, sites. Tudo menos aquelas pequenas coisas de papel que sabem fazer da gente um pouco melhor uma página por vez.
Primeiro foi uma falta de tempo-paciência-excesso-de-outras-coisas. Depois uma dorzinha no peito que não queria saber de ver nem ouvir nada que falasse de qualquer coisa parecida com um coração. É difícil ler um livro bom que não tenha coração. Faz parte dessa tal humanidade intrínsica que insistimos em carregar pra cima e pra baixo against o niilismo do mundo.
E não li. E não lendo não tive a chance de correr outros prados mais coloridos ou não. E não ficando um pouco melhor fiquei na mesma. E na mesma lá fora começou o inverno. E...e agora tenho desesperadamente que voltar a ler bons livros, ora bolas. Se é pra ser inverno até setembro, que seja literariamente bem acompanhada.

Indicações?
Pós-graduada em perda de tempo.

23.6.09

Hi-a-to



Lá do Moa.

Bibliografia internética

Sites com textos ensaísticos de política internacional indicados pelo João Batista Natali, autor do curtinho "Jornalismo Internacional".

Le monde Diplomatique www.monde-diplomatique.fr
Haaretz www.haaretzdaily.com
Brooking Institution www.brok.edu
International Crisis Group www.intl-crisis-group.org
Center for Strategic and International Studies www.csis.org
New York Review of Boocks www.nyboocks.com
Londo Reviwm of Boocks www.lrb.co.uk
Fundação Nieman www.nieman.havard.edu da Universidade de Havard
Iraq Occupation Watch www.occupationwatch.org
Foreign Affairs www.foreignaffairs.org
Atlantic Monthly www.theatlantic.com
International Institute for Strategic Studies www.iiss.org

22.6.09

Da mágica das palavras bem colocadas

Funciona assim. Tu cata as informações, junta tudo num texto de preferência elegante e palatável e aquilo que era nada - ou apenas um amontoado de impulsos elétricos - se torna alguma coisa, e se bobear, alguma coisa capaz de mudar alguma coisa.
Depois vem dizer que o bom jornalismo não é importante, vem.

É um pouco como cozinhar, sim. Com a diferença que tu não mexe só com meia dúzia de estômagos.

20.6.09

Você precisa saber da piscina, Da Margarina, da Carolina, da Gasolina...

Esse blog entreou em coma sazonal na hora em que decidi que a minha vida não cabia mais aqui. E ainda não decidi se cabe ou não. Esse troço de querido diário sempre me incomou mas o que sou eu se não o que faço e vivo o tempo todo?

*

Quer saber? Eu apostei alto pra caramba, sim. E quebrei a cara, ora bolas. Acontece.

17.6.09

Caiu o diploma de jornalismo

Honestamente, acho que não muita coisa não.

16.6.09

Pra que(m) serve o movimento estudantil?

Saindo de nada e com o objetivo de chegar a lugar nenhum, da onde vem esse desencanto tremendo com o movimento estudantil – ao menos o desencanto que eu percebo na Fabico?
Indo por aí, dá onde vem esse desencanto fabicano com o mundo?
Uma vez conversando com uma amiga perguntei o que essa faculdade tinha feito com a gente. A resposta dela ainda ecoa na minha cabeça. "Essa faculdade acabou com todos os nossos sonhos"
Mas babe, os nossos sonhos não tem a obrigação de serem maiores que uma faculdade?
Outra amigo complementou. "Hoje eu sou uma pessoa sem ideais." E não era um choramingo, só uma constatação. Outro foi mais longe e disse que um dia ele acordou e percebeu que mais um pouco virava niilista.
Fui num congresso de comunicação em Canoas nesse feriadão, coisa de vinte de minutos de Porto Alegre. Contando comigo, o encontro teve a ilustre presença de dois estudantes da UFRGS. Afinal, porque raios os fabicanos iriam se preocupar em debater o rumo da comunicação que eles vão/ajudam a fazer?
A sensação que eu tenho é que aprendemos a nos preocupar mais com o trabalho que vem depois do curso, em criticar a torto e a direito a faculdade, os professores, o mundo, por que não?, do que necessariamente nos esforçar para mudar alguma coisa.
Mas me digam uma coisa, se não for pra acreditar agora a gente vai acreditar quando?
Alguém me devolve os meus ideiais, que com o sem poeira preciso deles pra fazer sentido.

* Os questionamentos sobre o movimento estudantil e a minha emocionante entrada e um coletivo que disputa as eleições da UNE fica pra outro post.
** Sorry pelo exageros de interrogações, mas a minha cabeça anda um exagero de interrogações.

8.6.09

O sertão é dentro da gente

"O correr da vida embrulha tudo,
A vida é assim: esquenta e esfria,
aperta e daí afrouxa,
sossega e depois desinquieta.
O que ela quer da gente é coragem!

(tinha faltado um pedaço)

O que Deus quer, é ver a gente aprendendo a ser capaz de ficar alegre e amar no meio da alegria. E ainda mais alegre, no meio da tristeza. Todo caminho da gente é resvaloso, mas cair não prejudica demais, a gente levanta, a gente sobe, a gente volta."

(Guimarães Rosa)

Famiglia

Eu já disse, provavelmente não vou cumprir, mas se fosse pra escrever um livro eu faria um só com as histórias e estórias da família do meu pai.
Hoje à tarde veio uma tia-avó lá em casa acrescentar mais uma pra longa lista de casos da estirpe - a mesma tia-avó que liga pra ambulância de madrugada pra avisar que está morrendo e espera os paramédicos com a mesa do café posta.
E não é que a tia fez o tio rezar dois terços antes de qualquer coisa na noite de núpcias?
Valha-me deus!
E vamos falar do tempo, que é o que sobra conversar quando já não se sabe o que dizer. E vamos esperar. E vamos sarar, que sempre se sara, mais ou menos cedo.

Mesa de bar

"A sociedade não está pronta para o jornalismo. Se o jornais decidissem fazer jornalismo de verdade virava tudo de cabeça para baixo em duas semanas."

De um colega jornalista

3.6.09

CQC

ou O que os nossos repórteres não tiveram culhões de perguntar