20.7.09

Planalto central

Em Brasilia até as rosas são secas.

12.7.09

Hulk day

Uma garota tem que fazer o que uma garota tem que fazer. Chave dentro do apartamento, irmã do lado de fora (e garota, sem a chave). Documentos da irmã dentro do apartamento, concurso a ser prestado em 45 minutos. Que faz? Quebra o vidro, arromba a porta e toca o barco. Muito melhor que passar o resto da vida sendo culpada pela não-prestação do concurso.

9.7.09

A chamada da Ilustrada da Folha tem uma foto da recém inagurada estátua de cera do Michael Jackson. Olhando pr'aquele serzinho branco, tão distante do M.J dos anos 80 não consigo não pensar na Agrado: "Uma pessoa é tanto mais autêntica quanto mais se parece com aquilo que ela sempre sonhou para si mesma".

Deus salve as mães


Lá do Moa.

8.7.09

"Não me entenda depressa demais."

O jardim do diabo, L.F. Verissimo

6.7.09

Porto Alegre, cidade proibida

Mais essa pra lista das histórias. Tentaram me assaltar sexta-feira aí pelas 18h30 no Parcão. Se fosse na Redença - que eu prefiro mil vezes mais - até entenderia. Mas o Parcão? Não é lá que ficam os guardas que não circulam por aqui?
Eu olhava calmamente um daqueles mapas do tipo "você está aqui" enquanto um colega entrevistava um cara uns metros pro lado. Do nada apareceram dois guris de bicicleta (16, 17 anos?), me cercaram e começaram "quietinha, quietinha. Passa o celular se não te dou um tiro na cabeça". Eu, que tinha uma bela Panasonic mega muster profissional atravessada, a minha máquina compacta na bolsa, carteira e afins pensei "cumã?".
Antes que desse tempo de pensar mais alguma coisa, um dos guris começou a puxar o meu casado. Foi a gota dágua. Convenhamos, ameaças de tiros va lá, agora não tentem tirar os meus botões! Saí caminhando pro lado e gritei um sonoro "Bruno", suficiente pros rapazes optarem pelo sebo nas canelas.
Parece que as coisas já não andam tão calmas em Porto Alegre town, babe.
Nadei, nadei, nadei. Chegar na piscina é uma via crúcis, mas depois que saio de lá é tudo mais bonito. O cheirinho de cloro no ar, os músculos relaxados. Corpo são, mente sã gafanhoto.

Tempo amigo

Fico aqui perdida nessas minhas perdidezas e acabo deixando o mundo todo de escanteio. Está difícil acordar, no que concordo com o Igor. Quem quer levantar levanta, mas quando a gente nada contra a corrente afogar a cara no travesseiro parece mais fácil. Preciso é voltar a levar o tempo no bico. Quem sabe assobiar por aí tempo, tempo mano velho falta um tanto ainda eu sei pra você correr macio...