4.9.09

R. K

Estou apaixonada. Na verdade, a paixão é antiga. Do começo faculdade ainda. Assim que li Ébano, minha vida na África do Ryszard Kapuscinski pela primeira vez descobri quem eu queria ser quando crescer. Agora, lendo Minhas viagens com Heródoto - entre a história e o jornalismo (viva as bibliotecas!), relembrei. Uma jornalista com alma. De preferência capaz de passar isso pros textos e escrever frases da magnitude de "A África é uma eterna permanência" sem que essas soem pretensiosas, apenas verdadeiras.


*R. K nasceu em Pinsk, na Polônia em 1932 e morreu em janeiro de 2007, na Varsóvia. Foi correspondente na Ásia, no Oriente Médio, na África e na América Latina, além de ter presenciado 27 revoluções, vivido 12 frontes de guerra e ter sido condenado à morte por fuzilamento quatro vezes. Ele também escreveu uma dezena de livros e concoreu ao nomel umas quatro vezes.
Digamos que o gajo, além de talento, tinha um santo bem forte.

Nenhum comentário: