9.10.09

Desgovernos do sul

A governadora do estado do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius, mobiliou a casa com dinheiro do governo. Operação aprovada pelo TCU, segundo ela, o que nos leva a reflexão de Trasël (2009) - só pra não perder o clima monográfico:
"Quando o CPERS protesta em frente, a casa da #Yeda é particular. Quando é para mobiliar, é imóvel funcional."
Ouié.

Ahh, e o impeachment também foi pro saco. Falta só o plenário confirmar a cara dura da comissão. Afinal, o que significam os os 97 mil votos do julgamento popular da Yeda? Foram só 94%,
86.948 pessoas que a consideram culpada. Como lembra o Weissheimer, ao citar o blog da desgovernadora (“O melhor modo de reduzir e evitar a corrupção, é dar eficiência e transparência aos gastos feitos através de dinheiro público). Yeda debocha dos gaúchos.

3 comentários:

Anônimo disse...

Em defesa do povo gaúcho, Yeda não se elege mais pra síndica de prédio. Se colocar Yeda contra Tarso, capaz dos Sirotsky votar no Tarso.

Paula disse...

Antes fosse.

Anônimo disse...

Bom, eu falei "Yeda". O Tarso (ou qualquer alternativa à esquerda do centro político, com a possível exceção de um candidato do PDT, mas um nome politicamente viável no PDT gaúcho é mais raro que pêlo em ovo) perde para um estuprador serial, se este tiver "PMDB" ou "PP" do lado do nome, que dirá para o Rigotto ou para o Fogaça.