1.10.09

Palestina ocupada

"Movido antes por compaixão que por raiva, um querido amgo refletia certa noite, enquanto conversávamos em sua casa em Hebron, que "a história não perdoará o que foi feito com o povo inocente da Palestina". Já eu não tenho tanta certeza a respeito do que a história efetivamente fará: afinal de contas, tudo depende de quem estiver escrevendo – o conquistador ou o conquistado. Mas nem por um momento tenho dúvidas quanto ao que a história deveria fazer. Certa vez ouvi uma pessoa que muito admiro e respeito falar sobre suas experiências no gueto de Varsóvia e nos campos de morte nazistas. Questionada posteriormente sobre sua opinião sobre o conflito no Oriente Médio, minha mãe respondeu sucintamente: "Que crime cometeram os palestino senão nascer na Palestina?". É esta a realidade fundamental esquecida em todas as imagens fabricadas sobre o conflito israelense-palestino. O grande crime cometido pelos palestinos foi terem se recusado a cometer a auto-espoliação; não quiseram "escafeder-se" para dar lugar aos judeus. Talvez seja verdade que o código de ética comum da humanidade seja - pelo menos no momento - bastante rudimentar; mas este padrão rudimentar é suficiente para entender que o povo da Palestina foi vítima de uma injustiça colossal."
Normam G. Finkelstein, Imagem e realidade do conflito Israel-Palestina

Nenhum comentário: