24.1.10

Nós que esquecemos que queríamos ser humanos

Cá estava quebrando a cabeça com uma matéria, fazendo suco com o coração pelas perspectivas pós-formatura e enrolando mais um domingo de manhã quando abri o Jornalismo B dos amigos e também formandos Cris e Haubrich e encontrei esse texto do Ale.
O artifo fala daquele jeito poeta perdido do gajo de como a gente esquece a nossa humanidade em prol do dia 10, de como na província de São Pedro ou a gente f%&*$ ou pula o muro e principalmente de como é importante regar os sonhos. Vou demorar um rato a voltar a escrever.

- Trabalhar na RBS é o sonho de qualquer um da área da comunicação.Ela disse à entrevistadora e a outros sete candidatos a uma vaga de estágio. Me espantou menos a afirmação do que a sinceridade com que foi dita. Parecia realmente feliz – e um pouco nervosa – por estar ali.Somos quem podemos ser. Sonhos que podemos ter.

Nenhum comentário: