13.2.10

Diário de uma pseudo-alcoolatra

Bebi demais na minha formatura, agora minha mãe acha que eu bebo dia sim, dia também. Justo eu que parei até de tomar cerveja por causa da maldita enxaqueca (a formatura foi uma folga consciente de que minha cabeça poderia doer muito, ameaçar explodir, jogar basquete entre os neurônios no outro dia). Como se não bastasse, ela faz questão de me lembrar isso a cada telefonema além de ter incluído a minha "condição" nas suas preocupações diárias, como o aumento da criminalidade nas ruas, o fim do mês e, com sorte, a paz na palestina.

Nenhum comentário: