19.2.10

Fe-mi-nis-mo

"Feminism is the radical notion that women are people."
Cheris Kramarae
Paula Treichier


Muita gente tem medo de se declarar "feminista" como se isso fosse palavrão ou o mesmo que assinar um atestado de fridigez. Ou como se já não fosse necessário.
Será mesmo?
Nós não temos os mesmos salários. Nós não temos os mesmos direitos. Não somos representadas igualmente e mais uma lista de nós não.
Só que o jogo é virado de tal forma e o machismo tão introjetado que se revoltar contra isso é que parece errado e se apaga um dos não nós mais importantes: nós não estamos lutando pra sermos vaginas de calças compridas. Apenas pelo direito de escolha.
A grande sacada é a escolha.
Quer se arrumar? Se arruma. Quer ter filhos e ficar em casa cuidando deles? Fica. Não quer? That´s ok to. E isso vale pro lado com ou sem cromossomo Y.
Discussões a parte, achei esse teste chiquita bacana no blog da Lud que ilustra bem a questã.
Porque o feminismo luta pela liberdade. De todos nós.

El teste


1. Você acha que (A) uma mulher deve receber o mesmo salário de um homem para realizar o mesmo trabalho ou (B) uma mulher deve receber um salário superior ao de um homem para realizar o mesmo trabalho?

2. Você acha que (A) as atividades domésticas devem ser de responsabilidade de todos os moradores da casa ou (B) as mulheres não devem ser responsáveis pelas tarefas domésticas?

3. Você acha que (A) que homens e mulheres devem receber a mesma educação escolar ou (B) somente as mulheres devem ser admitidas nas faculdades?

4. Você acha que (A) homens e mulheres devem ter direito a votarem e a serem votados ou (B) somente as mulheres devem ter direito a votarem e a serem votadas?

5. Você acha que (A) homens e mulheres devem ter autonomia para possuir bens e administrá-los ou (B) somente as mulheres devem possuir bens e administrá-los?

Resultado do teste:

Se você marcou mais letras (A), surpresa – você é feminista! É isso mesmo: o feminismo defende que todo mundo deve ter direitos e obrigações iguais, independentemente do gênero. É por isso que feminismo e machismo não são opostos: o feminismo quer que tanto mulheres quanto homens tenham acesso às mesmas oportunidades; já o machismo acredita que os homens são superiores e, por causa disso, devem ter direito a vários privilégios. O real oposto do machismo é o femismo, que segue a mesma "lógica" ("sou melhor porque tenho o cromossomo X ou Y") e está representado pelas letras (B) no teste.

Você se chocou com as letras (B)? Pois é, que horror. Que injustiça. Mas perceba que, se você trocar a palavra “mulher(es)” por “homem(ns)” nos itens 1 e 2, eles vão refletir a realidade atual de muitas mulheres. E se você fizer a mesma coisa nos itens 3, 4 e 5, bem, eles correspondiam à verdade não faz muito tempo (e ainda correspondem em certos países). O que aconteceu desde então? O feminismo.


Faço minhas as palavras da Lud. Confessem: vocês já eram feministas e nem sabiam.


5 comentários:

Signorina Benvenuti disse...

Acho que tão importante quanto se declarar feminista é ter claro que a luta das mulheres é penas uma das tantas lutas que existem. O perigo mesmo é a gente se fechar e considerar as coisas de maneira maniqueísta, tipo, "se as mulheres mandarem no mundo o mundo melhora", não é tão simples como parecem pensar muitos movimentos feministas atuais...
Beijo!

Paula disse...

Claro, claro, claro... mas convivendo com a galera da esquerda e dos movimentos sociais dá pra perceber tb q essa não é uma luta q pode ser deixada de lado, ela tem que correr junto. Pq até o mais libertário dos esquerdistas foi criado nessa sociedade patriarcal e reproduz esses comportamento. A gente reproduz esse comportamento!
E aparece aí mais vezes. ;)

Signorina Benvenuti disse...

Agora, com internet no meu lar, fuçarei no blog dos amigos :P

natusch disse...

Eu sou feminista, prontofalei ^^

Paula disse...

Bem vinda ao mundinho internético anytime, Pati - apesar de eu acreditar que a gente gasta o tempo melhor sem ele. =p
E Isso aí, Igor. Vamos sair do armário feminístico! ;)