6.7.11

Romantismo gramatical

Nunca fui o ser mais romântico/meloso do mundo, o que me exclui do "delisga você, não, desliga você", "amorzinho guti guti" e por aí vai. Pois eis que fim de semana em Sampa deu saudade do senhor namorado e, ao ver a carinha do dito cujo entre as últimas aparições do Facebook, resolvi exercitar um pouco desse lado enferrujado. Escrevi na caixinha:

- Sa-u-da-de, pode?

Sem resposta, lembrei ontem da mensagem e perguntei se o gajo tinha visto. Viu.

- Também, tu quer me colocar numa sinuca dessas!? Tem uma corrente que defende que é ditongo, outra que é hiato. De certa forma as duas estão certas, mas não tive tempo de pesquisar nos meus livros de português para checar.

Sobrou pra mim. Saudade pode. Pode até confundir carinho virtual com dúvida gramatical, ainda mais quando a autora é dada a explosões românticas.