9.5.12

Beterraba fellings

A palavra é beterra. Risoto de beterraba!

Nem pense em torcer o nariz, que além de saudável o prato é delicioso. E falou a pessoa que NÃO gosta de beterraba.



Copiei a receita descaradamente do site da ZH depois que alguém a retuitou. Achei o risoto tão bonito, tão roxo, que não tinha como ficar ruim.

Tu vai precisar de:
8 beterrabas grandes - o número é meio cabalístico, comprei 9 só pra contrariar
arroz de risoto - nessa hora é melhor botar a mão no bolso e esquecer o arroz comum. A diferença é gritante. O arroz comum não "risoteia" do mesmo jeito, não coloca o carboidrato pra fora e fica cremoso como a gente quer e precisa. A receita original indica o tipo carnaroli, mas acho que se só tiver o arbóreo a mão também não tem problema.
1 cebola grande
1 dente de alho
350 ml de vinho branco - no caso, meia garrafa. Aqui em casa a gente costuma usar um tal de vinho culinário que vendem no mercado, mais pela relação custo benefício/pena de jogar um vinho bom na panela do que pelo sabor. Acredito que um bom vinho apenas melhore o prato, afinal, já dizia a mãe, "sagu tem que ser com vinho bom".
50 gramas de queijo ralado - coloquei um pacote de 100 gramas. Recomendo ter um pacotinho de reserva pra servir.
50 gramas de manteiga - achei meio demais e coloquei só uma boa colher de sopa
azeite de oliva
sal e pimenta
opcional: castanha do pará

O processo é bem simples e lembra os risotos comuns. O maior trabalhoso é descascar a beterraba e passar no processador ou, no caso da minha pobre cozinha, liquidificador com água. Prepare-se para mãos e pia rosa. No caso de usar o liquidificador  é importante lembrar de peneirar a beterraba pra ficar só com o suco, que segue para uma panela para aquecer enquanto a gente continua os trabalhos.

Em outra panela coloque um fio de azeite e a dupla cebola e alho bem picadinhos. Cebola refogada até soltar aquele cheiro de cozinha de mãe é a vez do arroz entrar. Sempre mexendo, coloque também o vinho e espere evaporar. Vinho evaporado, comece a colocar o suco de beterraba, que precisa estar quente, duas conchas por vez, sal e pimenta.

Acabou o suco, acabou o arroz. Geralmente são vinte minutos de intensa mexeção -- importante, parou de mexer babou. Na finaleira acerte o tempeiro, coloque o queijo e a margarina e pronto. Risoto de beterraba.

A receita sugere ralar castanha do pará por cima dando um ar de "falso parmesão". Se não tiver castanhas por perto serve o resto do queijo mesmo. Bom apetite.

Nenhum comentário: