19.7.12

Carioquices II

Nunca tive dificuldade em ser Paula no Rio Grande do Sul.
Nem morena.
No Rio antes mesmo de eu dar oi já atacam de Paulinha (que, sabem os amigos, não meu gusta). Ou meu anjo, meu amor, queriiiida e outras intimidades estranhas a estranhos, mas comuns por aqui.
E me descrevem como aquela gaúcha loir(inha). Mal sabem eles quão loiro pode ser um loiro serrano/gringo/alemão.

Um comentário:

Isabela Marinho disse...

haha, verdade!
eu gosto do "querida".