23.11.12

Nosso novo apê

Comecei a me acostumar, enfim, com o novo apê. Tá com mais carinha de lar e o barulho e a luz - muito barulho e muita luz - já não incomodam tanto.
Rafa acha o clima aqui mais leve. Talvez não ter um proprietário português de 91 anos doido e a vista pro Cristo e para a Pedra da Gávea ajudem...
Eu sinto falta dos macaquinhos na árvore em frente a janela, do silêncio -- ahh, o silêncio -- e a da cozinha industrial com duas cubas e espaço pra sair dançando, se desse vontade. Também acho os porteiros meio enxeridos... Mas não se pode ter tudo, né não?
A parte da luz no fim se mostrou uma boa aliada para as amigas plantas e temos três novos alegres moradores na sala. Uma manjericão (o outro não sobreviveu a mudança), uma hortela e um alecrim.
E que venham dias ainda melhores.

A sala e todo o sol do Rio de Janeiro ao mesmo tempo.

A nossa vista podre de chique.

A geladeira mais bonita da cidade - oito países em imãs, ein. Aceitamos doações.

Os novos moradores.

O nosso novo velho apê de sempre. Dessa vez fora da porta de entrada, pra não assustar os novos vizinhos. Ao menos não por enquanto.

Um comentário:

Pati Benvenuti disse...

Simpático o lugar :)

Luz demais do que de menos :)

Queria muito ter um pezinho de salsa em um vaso, mas como meu jardim botânico já tem três habitantes, o espaço lotou...