11.2.13

Impressões madrilenãs


Depois de seis dias e uma noite em Madri sai de lá com aquela sensação gostosa de ter um lugar para voltar. O que mais me impressionou é o fato de ser uma cidade para se viver, feita para pessoas e, mais importante, em que os moradores aproveitam isso.
As calçadas são largas, as avenidas estão cheias de passeios públicos arborizados e são os carros, não os pedestres, que param na hora de atravessar a rua. O transporte público é ótimo e cobre toda a cidade num sistema que conta com ônibus, trens, metrô e até uma linha circular pra facilitar a vida de quem se perde nessa malha ferroviária - nada que um mapinha distribuídos nas estações não resolva -, mas o legal mesmo é caminhar.
Ainda mais quando a gente vem de uma noção brasileira de metrópole, que faz tudo parecer tão peeeerto. Para vocês terem uma idea Madri tem cerca de 600 km² e 3,2 milhões de habitantes contra os quase 500 km² e 1,5 milhões habitantes de Porto Alegre.
E voltando aos madrileños, ô povo que gosta de rua. Mesmo com o friozão sempre tem alguém passeando pelos parques e pelas calles da cidade, sejam 2h da tarde ou duas da manhã, o que vale tanto para velhinhos quanto para crianças. Já imaginou encontrar a nonna na Augusta jogando conversa fora com as amigas na madrugada? Es Madrid.
Outro ponto marcante do povo espanhol, e em especial dos moradores da capital, é a capaciadade de se divertir. Quem vê as ruas de bares cheias de segunda a segunda nem desconfia que o pais vive uma de suas maiores crises. Nada abala a tradição de salir a tapear - nada mais nada menos do que comer um tapa com um canã (nome local pra ceva) ou vinho ou complete com a bebida que preferir em um lugar, e depois em outro, outro e outro até quando se aguentar (tem até um ganchinho no balcão pro povo colocar os casacos e bolsar, comer de pé e cair fora).
E isso tão pouco significa namorar a pobreza, já que os tapas custam em média 3 euros e muitos deles acompanham a bêbida. Três são mais do que suficientes pra fazer a alegria da noite. Recomendo a o bairro La Latina, nos arredores da Plaza Mayor, cheio de ruazinhas bacanas pra se perder engordando.
As festas também costumam ser de graça - e da-le povo que curte uma festa - e também estão sempre cheias.
Enfim, moraria fácil em Madri.

Nenhum comentário: