27.2.13

Sobre a neve ou Rosebud

"Prazer, Olga."

Nós, da grande Caxias do Sul, gostamos de dizer que conhecemos o frio, jogar na cara do resto do país que temos o privilégio da neve, raridade nessas terras tupiniquins.
Quanto ao frio, não tenho do que discordar. Ninguém gosta tanto de passar frio quanto os gaúchos.E dá-lhe gostar. Só isso explica viver sem calefação em um lugar em que os termômetros chegam com alguma frequência aos - 5°C e flertam com o zero boa parte do inverno.
Agora neve, amigos, neve a gente nunca viu por lá. No máximo uma chuvinha congelada caindo marota.
Depois de uma semana em Bologna, frente a uma nevasca que deixou a Emília Romagna com cara de Noruega, e a insistência dos flocos brancos de caírem em especial quando eu colocava o pé na rua, cheguei a conclusão de que a neve é linda. Da janela. Pra esquiar. Pra sonhar com natais brancos. Não para viver.
Ao menos no domingo o tempo deu uma trégua e pude fazer check em dois itens da lista "before I died I want to":
- fazer um boneco de neve;
- fazer anjos na neve;
Só faltou coragem e uma calça impermeável pra sair escorregando neve abaixo e gritando Rosebud. Fica para a próxima.

3 comentários:

Pati Benvenuti disse...

Como assim a gente não conhece neve? tu não te lembra daquele inverno que caiu uma nevasca bizarra durante a madrugada? a neve tava MUITO alta no domingo, meu pobre cachorro quase afundou quando tentou sair... Foi uma vez só tão grande que me lembro, mas teve sim...

Paula disse...

Acho q eu tinha cinco anos, minha mãe fez fotos e esqueceu de tirar a tampa da máquina...
Ok, a gente já tem alguma intimidade com a neve. Alguma... =p

Pati Benvenuti disse...

Hhahaa, tem sim, era grandona a neve :P

Eu era bem nova, e tu ainda mais :)

E olha, viver na neve deve ser difícil, mas ainda melhor do que viver no verão de SP. A neve deve ser bem mais civilizada que as chuvas que caem aqui!