15.7.13

Diálogos - versão família de férias nas "águas"*

Domingo à noite. Parte da família reunida em uma cidadezinha qualquer de Santa Catarina que teve a sorte de ter águas que brotam da terra quentinhas, top 5 passeios preferidos dos moradores da Serra Gaúcha. A filha liga pra saber como foi o fim de semana de semi-férias.
- E aí, gatão (vulgo, pai), tudo bom? Aproveitando bastante?
Por pai imaginem um jovem senhor de 63 anos, 1,68 de altura, lépido e faceiro, lutando com um ponteiro da balança que teima em passar os 100 kgs.
- Ah, tudo muito bem minha filha.
Do outro lado da linhas ouvem-se ais e assemelhados
- Só tô todo dolorido.
- Ih, atacou a coluna de novo?
- Não, fui no parque aquático com teus primos e resolvi andar no toboágua.
Ah, a juventude.

Paulo Bianchi, em toda a sua glória, se divertindo "pacas" (um dos seus advérbios preferidos) passando sulfato nas bergamoteiras.


Pequeno dicionários de gringolês:
 "Águas" - entende-se por águas todo e qualquer lugar em que é possível desfrutar de fontes de águas quentes canalizadas em piscinas naturais ou não. Último grito em São Paulo há 15 anos, Caldas Quentes, em Goiás, é hoje o último grito em Caxias do Sul.
"Vou para as águas" - expressão comum aos jovens de mais de 60 anos que se refere ao ato de se deslocar da Serra Gaúcha em direção aos tais locais em que é possível desfrutar de fontes de águas quentes canalizadas em piscinas naturais ou não.

*Post dedicado a Bianchi Jr, que veio, de forma justa e completamente cheia de razão, reclamar do abandono deste espaço pelo qual a gente nutre tanto carinho, mas alimenta vez em quando, quase nunca.

Nenhum comentário: