18.7.13

Viena antes e um pouco depois do amanhecer



Eu, eu mesma e Viena (com a amiga mala, que me acompanhou toda a viagem)

Passei por Viena a mil, a caminho de Praga, e me arrependi profundamente. Soubesse que a cidade era tão legal tinha ficado mais um tempinho. O que me lembra: de busão a Europa é muito mais barata. Paguei incríveis 15 euros de Buda a Viena, pela Orange Ways (o site é tosco, mas o ônibus é razoável), viagem que, se não me falha a memória, levou menos de seis horas.
Cheguei 20h na rodoviária onde todo mundo, thank God, falava inglês, e parti sem lenço nem documento a cata de um hostel no centro. Ao sair do metrô - o transporte público funciona mega bem e é outro ponto forte da cidade -, dei de cara com uma catedral iluminada por mil fragmentos de cor, o que, descobri depois, era uma forma de celebrar a quaresma. Parti às 13h do dia seguinte rumo a Praga, já com saudade.
Fora toda a memória de Antes do Amanhecer que a cidade evoca - quem não, viu, VEJA, e aproveita que o terceiro filme da trilogia, Antes da Meia-Noite está em cartaz -, e o fato de que, infelizmente, não encontrei nenhum Ethan Hawke no caminho, ficou a lembrança de uma cidade alegre e cosmopolita, vestígio, acho, do antigo reino Austro-Húngaro.

Pra não dizer que não cruzei com o Ethan...

Em tópicos, como mandam as anotações do caderninho:
- Se a Catedral é o coração da cidade, a ópera é a alma. Viena, além de ter acolhido Mozart e Bethoven, é repleta de música por todos os lados;
- Mozart, não se enganem pela produção clássica, era sexo, drogas e rock'n'roll e levava uma vida deverás boêmia para a época, ao menos foi o que disse o meu guia;
- Bethoven se mudou mais de 30 vezes. Parece que os vizinhos não eram tão fãs assim de seus "tã, tã, tãns" ao piano;
- Existe uma cozinha austríaca e uma cozinha apenas vienense, fruto da mistura que ser a capital do império austro-húngaro proporcionou. E vou dizer, parece boa pra caramba. Tem um mercado público que funciona todos os dias em uma avenida - não lembro o nome, mas é bem famosa -, em que é possível beliscar as gordisses mais deliciosas, como damascos recheados com nozes, azeitona entupidas de queijo e por aí vai;


A tal comida vienense

- Mesmo no frio a população da cidade curte a noite e sempre tem gente no calçadão sendo feliz;
- "Its was very nice, I am amuse" era a frase preferida do último imperador. Parece que ele pediu um palácio a um arquiteto, não gostou, expresso isso publicamente, e o cara se matou. Com medo de levar mais uma morte nas costas ele passou a usar o bordão sempre que perguntavaam o que ele achava de alguma coisa;
- Os garçons em Viena, como explicou meu guia, são feito maestros. Não ouse chamá-los, isso é uma ofensa terrível. Eles regem a sinfonia da sua visita e te atendem quando e se quiserem. Quase cariocas;
- É possível pedir um cafézinho e passar a tarde lendo em um café sem ser importunado. Os cafés, inclusive, tem um bom estoque de jornais e revistas. Pena que a maioria é em alemão...

Nenhum comentário: