22.8.13

Moro em uma cidade que tem uma rua chamada "Travessa dos Poetas de Calçada".

Precisa dizer mais alguma coisa?

19.8.13

Diálogos maternos - versão Heow de Janeiro

Mãe, em sua primeira visita ao Rio desde que mudei para a província de São Sebastião de mala e cuia no agora longínquo 2010.
“Não consigo nem imaginar tu morando aqui, sozinha, nessa cidade tão grande.”
“Mas mãe, eu já moro aqui faz mais de três anos!”
“Que bom que pelo menos eu não vejo.”

1.8.13

Termine ontem Paula, da Isabel Allende, que li por motivos óbvios - sou dessas que lê alguma coisa porque tem o próprio nome na capa, sim -, e porque uma amiga, encantada com Casa dos Espíritos, que li e gostei há muito tempo, me lembrou da delicadeza do realismo fantástico que essa chilena prática.
No meio do livro, uma descrição me fisgou. A da família italiana "numerosa e sem grandes complicações metafísicas ou intelectuais". Tá aí, é daí que eu venho.
E viva as famílias sem metafísica, só chocolate, como diria o Caeiro.