18.11.13

Ficções

Toma, feliz natal. É um cedê do Djvan. Misturei as músicas. Não gosto quando fica tudo muito certinho, muita música famosa junto.
Sabe que encasquetei com aquela música do dinossauro?

Mas sério, não precisa me levar a pé até em casa. Tu vai perder o ônibus.
Eu sei.

Tem que limpar essas venezianas. Fica muita poeira, faz mal. Se tu quiser eu te ajudo.
Brigada, acho que vou precisar de ajuda, sim.

Desisto, não desisto, desisto.
Oi, como foi o dia? Quer tomar uma cerveja?
Calorão, né? Brigada, mas vou lavar a louça.
Não precisa lavar agora. Termina a cerveja antes.

Não vai embora. Dorme só mais essa noite aí.
Não posso. A gente já viveu tudo o que tinha para viver.

Tem uma bermuda, uma cueca, uma escova de dentes, um chinelo e um desodorante que não são meus aqui em casa.
Ué, como eu ia escovar os dentes e tomar banho?

Quer namorar comigo pelos próximos nove meses?
A gente já não está namorando?

Tu viu que eu deixei as tuas coisas com o porteiro?
Vi. Até a escova de dentes.
Até a escova.
Preciso te entregar as tuas. Tua escova ainda tá aqui.
A escova não precisa.

Nenhum comentário: