7.12.13

Palavra perdida

Outro dia ganhei uma palavra de presente. É raro, mas às vezes acontece de nos darem uma delicadeza dessas assim, sem compromisso. Veio de uma moça em um festival de música. Ela queria muito entregar um cd para o povo de uma banda que eu ia entrevistar, ajudei, e ela veio com a palavra. Perguntei o que significava. "Sabe quando aparece "O" caminho em meio da desordem e é o caminho certo? É isso." Alguma coisa do candomblé temperada com muito de África, pelo que lembro. Tão bonita, tão sonora, tão cheia de história. E eu perdi. Ficou anotada entre os 350 bloquinhos que moravam comigo no Humaitá. Nem todos sobreviveram a mudança. Agora fico aqui, “alefa, aleia, como era mesmo?”, na esperança de cruzar com a moça ou a palavra outra vez.

Nenhum comentário: