27.3.14

Memórias encaixotadas

Hoje foi dia de arrumar parte da mudança ainda encaixotada. Antes de alguém lembrar que, oi, mudei no finzinho de novembro e já dá pra ouvir o abre alas de abril, deixa eu me defender esclarecendo que essas são as caixas dos papeis e memórias, aquelas que a gente faz bem em guardar, mas não precisa ter a mão all the time.
Entre contratos, guias de banco e bagunças diversas, sorriam os mapas de alguma das cidades que visitei no ano passado. Tava ali Roma e as suas praças, Paris e as pontes sobre o Sena, Berlim e as ruas que risquei a caneta ter percorrido de bicicleta. E ainda anotações e mapas de metrô de Praga, Budapeste, Amsterdam, Madri e Londres.
Exatamente hoje há um ano eu caminhava pelas ruas francesas sem entender direito o idioma, mas sorrindo à toa com a insistência da Torre Eifel em aparecer de surpresa ao longe a cada esquina. Que vida difícil essa da gente, picada pelo desejo de cruzar fronteiras além de nossas próprias esquinas.
Fico com saudade. Fico piegas.
E quem raios liberou a chegada do dia 27 de março aqui, pelamor?! Ontem não era janeiro?

Nenhum comentário: