23.10.15

O Morar Carioca que nunca saiu do papel

Faz tempo que não rolava nenhuma propaganda descarada das minhas matérias por aqui. Verdade que como eu passei um bom mês de férias também faz tempo que não escrevia nada que merecesse ser compartilhado. Pra sanar a míngua de reportagens e posts, segue um texto que se não é sensacional lembra um pouco o caos com que convive a galera aqui no Rio.

Orçada em R$ 8,5 bi, urbanização de favelas no Rio só concluiu 3 projetos

(foto: Zulmair Rocha/UOL)


Lançado pela Prefeitura do Rio de Janeiro em 2010 e orçado em R$ 8,5 bilhões, o programa Morar Carioca transformou em política pública a ambiciosa promessa de urbanizar todas as 763 favelas da cidade, estabelecendo como prazo o ano de 2020. De lá para cá, no entanto, reclamam urbanistas e moradores, pouco foi feito. Dos 40 escritórios de arquitetura escolhidos por concurso para o tocar o projeto, apenas 11 foram contratados e três projetos concluídos e, segundo a Secretaria Municipal de Habitação, não há garantias de que os outros 29 escritórios serão chamados.
"Mudança não teve, só para pior", diz Carlos Hipólito, 43, morador da rua Esperança, na favela Vila União Curicica, localizada na zona oeste do Rio, a cerca de 40 quilômetros do centro da cidade. Ele e os vizinhos passaram parte da manhã do dia 14 de outubro ocupados em colocar fogo em meia dúzia de pneus a fim de fechar uma das ruas paralelas à comunidade em protesto pela falta de água no local, ainda sem saneamento, calçamento ou abastecimento de água formal.
A matéria continua acá.

Nenhum comentário: