29.3.16

As aspas, o contexto e o detalhe

Desde a faculdade, sempre me diverti com essa análise de conteúdo informal entre o que nós, como jornalistas, acabamos publicando. Tem muita coisa que é pura coincidência, muita coisa escrita em cima do laço do fechamento e muita coisa que é detalhe mas não é tão detalhe assim. 

Atrás de declarações da ministra Carmem Lúcia me deparei com duas matérias diferentes sobre uma mesma fala dela em um evento público na semana passada. Em uma delas, a ministra era categórica já no título: “impeachment não é golpe”. Na outra, também no título, ela dizia, “impeachment não é golpe se a Constituição for respeitada”.

Olha a aspa completa da Carmem, quando questionada sobre declarações da presidente feitas também na semana passada: "Não ouvi [o discurso], mas tenho certeza que a presidente deve ter dito que, se não se cumprir a Constituição, poderia haver algum problema. Não acredito que ela tenha dito que impeachment é golpe porque ele é previsto na Constituição. O que não pode acontecer é que não se observe as regras constitucionais.”


Num texto essa aspa toda aparece já no segundo parágrafo. Noutro, no pé -- jargão pra fim da matéria. Os dois estão corretos e tal, mas o amigo contexto. Bem, esse fica no detalhe.

25.3.16

Colagens de aniversário

Você aí sabem que eu bem curto rabiscar - na adolescência, passava horas fazendo colagens mil no computador e anualmente me divertia inventando papéis de parede de aniversário pra miss Bianchi Jr. Posto que mais do que crise o que pega é fim do mês e há muitos amigos arianos no mundo, ontem parei uns minutos pra desejar parabéns para uma amiga com alguns traços. Fica aqui um pedaço do desenho e desejos gerais porque acho que ele ficou bacana e tamo aí vivendo.

23.3.16

Sobre esse março

A título de revisão histórica, pra quando um eu do futuro correr os posts desse março sem fim e sem escrúpulos na política nacional: a minha vontade, frente ao mar de lama todo, a possibilidade da saída da presidente, golpe e afins, é colocar a mão na cabeça e ficar repetindo, ad infinitum, “mas gente, mas gente, mas geeeeeeeente!”.

Ah, e também vai ser bom lembrar que ainda existia gente sensata, como a Laerte e seus sempre jugulares cartoons (muito bem lebrado pelo Ramon, lá no Vitralizado).

6.3.16

“Claro que estamos em guerra, e é guerra de sítio, cada um de nós cerca o outro e é cercado por ele, queremos deitar abaixo os muros do outro e continuar com os nossos, o amor será não haver mais barreiras, o amor é o fim do cerco.”

José Saramago, História do cerco a Lisboa

Plantão reflexivo

"A vida é feita das coisas que acontecem e das coisas que poderiam ter acontecido."

2.3.16

Diálogos - versão assessoria de sotaque

Assessor diz, por telefone:  -- Poxa, diminuiu bastante o teu sotaque paulista com o tempo, né?
Eu: -- Deve ser porque eu sou gaúcha.”