28.9.17

30 anos e autora publicada

O bacana de ser jornalista é ganhar um espécie de salvo-conduto para sair por aí escrevendo as histórias dos outros. Mas a verdade verdadeira é que só entrei nessa porque gostava demais era de ler as histórias todas, de ficção ou não, que me acompanharam desde pequena.

Fico mais tímida de entrar nessa sem essa desculpa, mas junto com a década nova (oi 30 :)) setembro inugurou também o ter pela primeira vez um conto conto publicado. 

Foi aquele texto, tia Virgínia, que já saiu por aqui.

Fica aqui o link pra essa revista bonita, a Escriva, com mais umas quantas histórias boas de ler de um punhado de gente arricando também umas linhas próprias. Como lembrou uma amiga, perfeitas ou não, só vivem as histórias que deixam as gavetas.

Nenhum comentário: